abril 30 2021 0Comentários

CONFEA PUBLICA ENTREVISTA COM A PRESIDENTE DO CREA-RN

CONFEA PUBLICA ENTREVISTA COM A PRESIDENTE DO CREA-RN

Por CREA-RN em 24/11/2020 às 11:58 | Atualizado em 09/02/2021 às 04:16

Engenheira civil com mestrado em Engenharia de Produção e doutorado em Ciência e Petróleo, a eng. civ. Ana Adalgisa é também a primeira mulher reeleita para presidir o Crea Rio Grande do Norte (Crea-RN) até 2023.
Ana Adalgisa iniciou no Regional como conselheira suplente, depois foi eleita titular e coordenadora da Câmara de Civil, também foi vice-presidente por duas gestões até que, em 2017, foi eleita com quase 54% dos votos dos profissionais do Estado. Foi agora reeleita, em 2020, com mais de 70% dos votos para continuar presidindo o Regional.

No decorrer do primeiro mandato como presidente do Regional, Ana Adalgisa esteve à frente do Comitê Gestor do Programa Mulher, do Conselho de Comunicação e Marketing, Crea Nordeste, além da atuação efetiva no estado, que lhe assegurou votação expressiva para continuar presidindo o Regional.

Vale destacar que a engenharia representa a terceira geração de mulheres à frente do Crea Potiguar.  A primeira foi a eng. civ. Zélia Maria Juvenal dos Santos, em 1994, e seis anos depois, em 2000, foi a vez da eng. civ. e de seg. do trab. Elequicina Maria dos Santos presidir.

Confira quais são os planos da presidente reeleita para o próximo triênio à frente do Crea:

1) Site Confea: Quais inciativas foram tomadas que terão continuidade no segundo mandato, principalmente dentro da temática equidade de gênero?
Ana Adalgisa
 – No Crea-RN trabalhamos muito a questão da capacitação de todos os nossos profissionais e servidores e daremos continuidade neste próximo mandato. Sobre a equidade de gênero, participamos da Campanha do Outubro Rosa, além de iniciativas no mês da mulher. Cabe destacar que no Crea Rio Grande do Norte em nossa diretoria, além de mim, como presidente, temos duas diretoras mulheres. Nós temos superintendências e gerências que são ocupadas por mulheres tanto na capital quanto nas inspetorias.

2) Site Confea: A senhora acredita que esse crescimento da representação feminina no Sistema já é fruto do Programa Mulher?
Ana Adalgisa 
– O Programa Mulher dá visibilidade, chama para a ocupação dos espaços por parte das mulheres, para que participem. No próximo ano, mais presidentes mulheres estarão à frente dos Creas, aqui no Rio Grande do Norte sou a terceira mulher presidente de Crea.

3) Site Confea:  Neste triênio à frente do Crea, quais os principais desafios já mapeados que demandam esforço e atuação? Eles constam da agenda de prioridades, como serão tratados e quais resultados positivos irão gerar?
Ana Adalgisa
 –   Na nossa primeira gestão focamos muito na comunicação do Crea com os profissionais, com a sociedade, para isso criamos aplicativos, aumentamos participação nas redes sociais, campanhas publicitárias. Essas ações vão ser fortalecidas com novas tecnologias e serão ampliadas não só na capital, mas no interior, pois quanto mais divulgamos os serviços e as ações aos profissionais, mais reconhecido o Conselho se torna, fortalecendo ainda mais o Crea.

4) Site do Confea:  O senhor acredita que o Sistema Confea/Crea e Mútua demanda uma readequação de seus procedimentos? Por quê? Se sim, qual tipo de reestruturação é necessária e como a gestão da senhora irá atuar neste sentido?
Ana Adalgisa 
– Todos precisamos nos readequar sempre, inclusive o Sistema Confea/Crea. Nossos sistemas e procedimentos têm de ser padrão, a análise e preenchimento de documentos têm de ser a mesma aqui no Rio Grande do Norte ou no Rio Grande do Sul. Precisamos ter uma comunicação uniforme para que o profissional saiba que, quando se tratar de Crea, o procedimento será o mesmo onde estiver, independentemente do estado.

5) Site Confea:  Acredita que a integração dos Creas dentro da região geográfica e de forma nacional é importante? Se sim, quais caminhos possíveis, dos pontos de vista institucional e político? Quais vantagens esse movimento pode gerar para o Sistema e para os profissionais do setor?
Ana Adalgisa
 – Essa integração é fundamental. Estou à frente do Crea Nordeste, e muitas questões são comuns a todos os Regionais. Acredito que a construção de resoluções, ouvindo os presidentes, a construção em conjunto de ferramentas, favorece a unicidade, que inclusive será percebida pelo profissional de que o Sistema é único. Somos um Sistema Confea/Crea e Mútua, inclusive devemos inserir mais a Caixa de Assistência para que se torne mais conhecida para os profissionais.  

6)  Site Confea:  Muito se fala na responsabilidade e habilidades dos profissionais registrados no Sistema Confea/Crea como contribuições diretas para o desenvolvimento do Brasil e para a implantação de políticas públicas que levem à retomada do crescimento nacional. Qual a opinião da senhora sobre essa viabilidade?
Ana Adalgisa –
  Não existe nenhum país desenvolvido no mundo sem a engenharia. Cabe a nós mostrarmos a nossa importância.  Temos de estar inseridos no contexto socioeconômico e político tanto em nível estadual quanto federal. Assim estaremos inseridos na construção de políticas públicas que envolvam a engenharia, a agronomia e as geociências.

No decorrer dos próximos dias serão divulgadas as entrevistas com todos os presidentes de Creas.

Leia mais:
Crescimento do protagonismo feminino marca eleições do Sistema

Fernanda Pimentel
Equipe de Comunicação do Confea com colaboração do Crea-RN

wordpress