Representantes do Crea-RN visitam o LAIS e conhecem projetos desenvolvidos por pesquisadores

Representantes do Crea-RN visitam o LAIS e conhecem projetos desenvolvidos por pesquisadores

Por CREA-RN em 10/10/2019 às 05:01


Representantes do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Rio Grande do Norte (Crea-RN) visitaram a sede do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (LAIS), no bairro de Petrópolis, em Natal. A comitiva conheceu os projetos e ações na área da saúde pública desenvolvidas pela equipe de pesquisadores do órgão junto à comunidade.

 

O grupo do Crea-RN foi composto pela presidente do órgão, Ana Adalgisa Dias; Alessandro Câmara, coordenador da Câmara Especializada em Engenharia Civil; Marconi Paiva da Silva, diretor administrativo; e Giovanni Marques, conselheiro da instituição. Além de conhecer os projetos, o grupo discutiu possíveis cooperações entre a instituição e o LAIS.

 

A presidente do Crea-RN falou sobre o LAIS e destacou que o trabalho desenvolvido no espaço é "de primeiro mundo", colocando a UFRN em uma posição de destaque no campo da pesquisa científica. "A inovação tecnológica que a gente vê nesse laboratório é de primeiro mundo, mas, o que mais gratifica é ela ser da UFRN, estamos contribuindo cientificamente e tecnologicamente para resolver problemas que tem aqui tanto no Rio Grande do Norte como em qualquer lugar do mundo", disse Adalgisa.

 

O coordenador do LAIS, Ricardo Valentim, destacou o potencial de uma possível parceria junto ao CREA/RN. "Aqui no LAIS nossa principal característica é a interdisciplinaridade, ampliada pela presença de profissionais de diversas áreas do conhecimento. Tanto que é a grande a quantidade de engenheiros trabalhando conosco no desenvolvimento de soluções para a área da saúde pública. A visita da presidente e dos demais representantes do CREA-RN mostra que estamos no caminho certo, e reforça a expertise do laboratório em trabalhar com áreas de conhecimento tão distintas. Tê-los ao nosso lado só mostra o quanto a engenharia pode colaborar também para o desenvolvimento da saúde pública", afirmou Valentim.