CREA-RN E TCE fiscalizam o Arena das Dunas

CREA-RN E TCE fiscalizam o Arena das Dunas

Por CREA-RN em 15/03/2019 às 03:26

Equipes do Crea-RN e do Tribunal de Contas do Estado (TCE) estiveram nesta terça-feira (15) no Arena das Dunas para realizar mais uma fiscalização no Estádio. Em dezembro do ano passado, os fiscais do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do RN constataram que a estrutura metálica que segura a cobertura da Arena apresentava corrosão e que o sistema de combate a incêndio não estava com a manutenção regular.

Os conselheiros Márcio Sá da Câmara Especializada de Engenharia Mecânica e Metalúrgica, Jorian Alves de Morais, Coordenador da Câmara de engenharia civil e a agente de fiscalização Gislene Gouveia e o superintendente do Conselho, Claudionaldo Câmara, juntamente com o diretor da Inspetoria de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado (TCE/RN), Marcelo Queiroz e os auditores de controle externo Wladimir Souto e José Monteiro Coelho Filho, observaram todos os detalhes que dizem respeito a empresa contratada, licenças, além dos pontos críticos apontados pela fiscalização do Crea há pouco mais de um mês. 


“Estamos agindo aqui primeiro fiscalizando o exercício da profissão, sabendo se as empresas que estão prestando o serviço estão registradas, habilitadas e se os profissionais têm habilidade para fazer o trabalho através das ARTs. Tudo isso para garantir a devida segurança a sociedade”, afirma o conselheiro Márcio Sá.

Os engenheiros do Arena das Dunas, Matheus Gurgel da Cunha e Arthur Morais, informaram que o serviço de recuperação da estrutura metálica e a manutenção do sistema de incêndio foi iniciado, assim que a administração do Estádio recebeu a notificação.

“Hoje vimos que as corrosões vistas na primeira visita já estão sendo tratadas, a nossa preocupação é saber como está por dentro dessas estruturas”, disse o conselheiro Jorian Morais.

Os auditores do TCE também levantaram essa questão, sugerindo a utilização de equipamentos mais avançados para avaliar o material das estruturas, antes do fim da garantia de cinco anos, após a construção. “É preciso conferir se o material está 100% adequado para evitar futuro prejuízo”, lembrou o diretor da Inspetoria do TRE, Marcelo Queiroz.


Também acompanharam a fiscalização do CREA-RN e TCE-RN, os fiscais do contrato da Secretaria Estadual de Administração e
Recursos Humanos e o engenheiro Marcel Nogueira da empresa 2M Engenharia, empresa contratada pelo Governo para fiscalizar o estádio.